Marone é o ator que a Globo tanto procurava e deixou escapar

Ramsés marca nova etapa na carreira do ator (Foto: Divulgação/Record)
Maior produtora de teledramaturgia do país, a Globo tem quase mil atores contratados. Porém sofre com defasagem de alguns perfis e faixas etárias.
São insuficientes as opções de atores com porte de galã e status de protagonista na faixa dos 35 anos.
Por isso Cauã Reymond é tão solicitado por autores e diretores — gravou 4 novelas, duas minisséries e uma temporada de série nos últimos cinco anos.
Sergio Marone fez quase quinze trabalhos na Globo ao longo de treze anos. Apesar de apresentar credenciais para suprir parte dessa demanda do canal, ele teve poucas oportunidades de demonstrá-las.
Seus melhores momentos na emissora foram como Cecéu, um jovem de classe média que se torna usuário de drogas em O Clone (2001-2002), na pele de Vitor, o ‘mocinho’ na décima temporada de Malhação, entre 2003 e 2004, e vivendo o ambicioso Nicholas em Caras & Bocas (2009).
No final do ano passado, o ator foi contratado pela Record após fazer uma rápida participação no seriado Sexo e as Negas.
Na casa nova, Marone atingiu o ápice da carreira logo na primeira escalação, ao interpretar o faraó Ramsés da novela-fenômeno de 2015, Os Dez Mandamentos.
Ainda que o personagem seja um vilão ideológico, sem alívio cômico nem perspectiva de redenção, conseguiu tanto ou mais popularidade do que o herói bíblico Moisés, papel de Guilherme Winter, também um ex-global.
Para evitar que Sergio siga o êxodo de atores que voltaram à Globo após fazer sucesso em suas tramas, a Record renovou o contrato dele por longo período e acenou com a possibilidade de colocá-lo na linha de shows, no comando de um programa solo.
É uma fórmula que se repete: Marcio Garcia e Rodrigo Faro também se transferiram para a Record por se sentir subestimados na Globo. Ambos elevaram a carreira a um alto patamar como apresentadores.
Garcia voltou à antiga casa, onde não repetiu o êxito conquistado na concorrência. Já Faro se transformou num medalhão milionário na Record.
Resta aguardar o destino de Sergio Marone, a quem a Globo deixou escapar por não enxergar nele o potencial agora revelado e bem aproveitado pela Record.
A emissora líder do país às vezes se mostra míope diante de talentos que ela própria ajudou a revelar.
Enéas de Sexo e as Negas: último papel na Globo antes da virada na carreira (Foto: Estevam Avellar/TV Globo)

Nenhum comentário