Novos tempos: TV acaba com salários milionários

A forma de administrar o negócio televisão obedeceu transformações importantes nos últimos anos e deve continuar se modificando, até chegar ao que as emissoras passem a considerar como algo mais próximo da realidade.
As loucuras que, vez por outra, ocorriam na contratação de artistas desapareceram por completo. A última que se tem notícia foi a do Gugu, se mudando do SBT para Record, e Silvio Santos, no momento imediatamente seguinte, tirando Eliana e Roberto Justus da concorrente. Isso em 2009. De lá para cá não tivemos mais registros de casos parecidos.
Hoje, observa-se, todas as TVs trabalham em planos mais efetivos. Poucos atores de novelas, salvo raras e honrosas exceções, continuam com contratos de longa duração e isto muito mais na Globo, que possui uma verdadeira fábrica de produzir teledramaturgia. O SBT, de muito tempo, e a Record, mais recentemente, passaram a firmar compromissos por obra.
São movimentos, agora vistos como indispensáveis, para se ajustar a este novo tempo.

Natural também

Assim como no futebol e em tantos outros ramos de atividade, é justo um Pelé ganhar mais que os outros. Na televisão também continuará sendo assim.
Há aqueles que, além da audiência, agregam resultados comerciais importantes. Merecem ganhar mais.

Nenhum comentário