Novela 'A Dona do Pedaço': Maria dá do primeiro passo pra mudar de vida


Maria (Juliana Paes) começa a montar seu império ao abrir sua primeira confeitaria, em A Dona do Pedaço. A protagonista, que ainda vende bolo na rua, receberá a ideia de ter um local só dela para que possa comercializar seus bolos. Será de sua amiga Marlene (Suely Franco) essa o insight, que fará com que a mocinha comece, de fato, a mudar de vida, agora que teve uma filha.
Tudo começa com a senhora querendo falar com Maria, logo depois de mais uma jornada na rua. Marlene enfatiza que avisou para Maria chegar mais cedo. Preocupada, a mocinha pergunta se houve algum problema. Mas a amiga nega: “Você tem cada vez mais freguesia. Não vende só os bolos na rua, mas tem gente que vem comprar, cafeteria que encomenda para servir aos clientes…”.
Neste momento, Maria agradecerá a Deus pela ajuda. Aí Marlene explica que Deus ajuda quem trabalha e que, por isso, ela poderia montar sua própria cafeteria. A protagonista refuta a ideia e diz que não tem dinheiro para isso. Neste momento, Antero (Ary Fontoura), que ouve a conversa, dá a sugestão de alugar uma garagem.
“Quando essa mulher encasqueta uma ideia na cabeça, não tira mais. Maria da Paz, tenho um ponto comercial aqui perto, quase uma garagem. Está há dois anos para alugar, ninguém aluga. Dá para montar uma pequena confeitaria”, conclui, deixando Maria surpresa.

Ainda nesta cena de A Dona do Pedaço

Na sequência, a câmera já corta para a protagonista avaliando o local. Ela se mostra receosa para saber se o dinheiro que economizou dá para montar um negócio tão grande. “Podia pôr umas mesinhas aqui… será que meu dinheiro dá pra isso? Economizei bastante.  Mas foi pra criar minha filha. Só não abri conta no banco”.
Mas Marlene lhe acalma e diz que conhece todo mundo no bairro do Bixiga, que ajudará a encontrar um marceneiro que faz tudo a prazo. A protagonista, então, pergunta do aluguel, se será explorada por Antero para usar o local. Ele responde dizendo que não pode ficar de graça e que, ao menos, das taxas ela não tem como fugir.
Enquanto isso, Marlene defende Paz: “Se fosse tão bom, estava alugado. Dará seis meses de carência. E aproveitando, já que é advogado, tem que fazer a papelada para abrir o negócio. Isso sim, sem cobrar nada”. Paz, então, aceita pagar pelas taxas apenas e diz que não pode mesmo passar a vida vendendo bolo na rua.
A mocinha conclui a cena definindo o nome da confeitaria: “São os meus bolos. Bolos feitos com amor. Bolos como os de antigamente, que trazem harmonia e felicidade. Que aquecem o coração. Bolos da Paz!”.
A cena está prevista para ir ao ar no capítulo 7, que será exibido na segunda-feira (27).  

Nenhum comentário